Dindin 1

Podemos ler na nossa parashá dois versículos raros: os dois repentem, aparentemente a mesma proibição na mesma porção semanal.

Lemos em Vaykrah 25/14:

“E quande venderdes alguma coisaao vosso próximo,ou a comprardesda mão do vosso próximo,ninguém engane ao sei irmão “.

E lemos também no capítulo 25, mas versículo 17:

“Ninguém pois engane ao seu próximo”.

Ou seja, duas proibições de enganar, no mesmo capítulo?

A guemará nos ensina (Baba metzia 58b) que na verdade são duas proibições diferentes relacionadas com enganar. Uma se refere a enganar pessoas com dinheiro. Outra a “enganar” a pessoa com ofensas e insultos.

Geralmente o enganar relacionado ao dinheiro é visto com menos indulgência. Mas a guemará traz três provas que a ofensa pessoal é pior e mais prejudicial do que enganar por dinheiro.

Ao fazer um prejuízo monetário ou material, podemos voltar atrás ou devolver o objeto em questão.

Mas, o que muitas vezes não nos damos conta é que ao ofender alguém ou insultar uma pessoa ou família, o estrago é inevitável e quase impossível de ser concertado. Então, menos cuidado com o dinheiro e mais com as pessoas.

Shabat Shalom

Rav Daniel Segal